Eu, Empreendedor

Já lá vão 6 anos como empresário e 2013 foi mais um ano…

Era o reinício da SOP após dois anos (2009/2010) que como alguns mais próximos sabem foram duros, a velocidade de tartaruga com entrada e saída de sócios, a semear sem praticamente colher, com altos e baixos, muita aprendizagem, vontade de desistir…mas feliz por estar a agir para alcançar o meu espaço no meio empresarial.

Dividia-me entre o emprego nas Águas de Lisboa (EPAL) e o empresário na Spirit Of Progress, nessa altura dormia 3/4/5hrs por dia, a família posta quase de lado, várias noites de diretas para conseguir conciliar com os fusos horários de clientes/parceiros estrangeiros e estar no emprego às 8, sair do emprego às 16hrs e literalmente correr para uma reunião da empresa às 16:30.

Alguns chamaram-me louco, diziam “não é a altura ideal”, “vais cair”, “não descansas”… outros congratulavam-me pela coragem e determinação desmedida, mas acreditar em algo e não a viver é desonesto e por isso continuei a acreditar.

Em Novembro de 2011 tive a oportunidade de ser convidado a participar num artigo da consagrada Revista Negócios & Franchising com o tema “TENHA UM EMPREGO E NEGÓCIO PRÓPRIO” (VER ARTIGO), nesta altura lia-se no artigo “Nuno Guilherme Jesus sente que na actual conjuntura não pode dar o salto e deixar de ter remuneração fixa”.

Após publicar o artigo no Facebook, questionava ao mundo “Será o primeiro de muitos? Será que agora é que tudo está a valer a pena?!”, várias vozes se insurgiram dizendo: “nada melhor do que ver o nosso trabalho reconhecido”, ”o sucesso é justo para pessoas ’audazes’ como o Nuno”,  “Se alguém merecia estar neste artigo eras tu e assim foi!!”

(ver comentários em https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2589357903274&set=a.2709216419662.147039.1534387334&type=3&theater )

Foram estas e muitas mais pessoas que me fizeram acreditar e superar os objetivos até ali colocados.

Foram feitas parcerias que permitiram alcançar novos clientes e dar uma resposta mais precisa, alcançámos mais mercados, aprendi com os “veteranos”…

Durante 5 meses (Novembro de 2011 a Março de 2012), apostei tudo no crescimento enquanto profissional, empreendedor e acima de tudo enquanto pessoa…sempre acreditei que Sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade.

Abrimos 4 Centros de Escritórios entre 2011 e 2013 num total de 1600m2 (Barreiro, Azeitão, Seixal e Casal do Marco) com 22 salas de escritório, 1 auditório, 3 salas de reunião e coworking. VER ARTIGO SOBRE UM DELES

Surgiram mais projectos, novos clientes, mais apoio aos empreendedores portugueses e em Março de 2012 isso foi reconhecido na imprensa VER ARTIGO.

Depois de ponderar todos os prós e contras…em Abril de 2012 dei o tal “salto”, deixei o emprego para me dedicar a 100% à SOP, uma decisão arriscada, em tempos conturbados. Mais uma vez uma decisão demasiado arriscada para muitos, incompreensível para outros tantos.

Mas como a escritora Cora Carolina disse “Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir.”

Nos últimos meses de 2012, foi o colher das sementes plantadas nos últimos 5 anos, em tempos de crise a SOP cresceu, o reconhecimento aumentou e em Agosto de 2012, somos convidados para uma entrevista na RTP África VER ARTIGO, entretanto surgiram convites e propostas para levar projectos para África e para a América do Sul.

Em Novembro de 2012 fui convidado a dar a minha opinião num especial da Revista Negócios e Franchising sobre o sector dos serviços em Portugal VER ARTIGO e também foi pedido o nosso contributo num artigo do Jornal Expresso sobre o Coworking em Portugal no seguimentos dos nossos 3 centros de escritórios na região de Setúbal VER ARTIGO

Foram meses de franco crescimento e de agarrar de oportunidades em tempos de crise.

Em Julho de 2013 com o nascimento do primeiro filho (Guilherme), optei por abrandar, trespassar os centros de escritórios e partir para outra etapa.

Ao longo destes meses entre clientes, aproveitar o filho e definir o novo rumo, conheci varias individualidades, criei novas sinergias e reforcei as até ali criadas…acima de tudo defini os meus sonhos e objectivos de vida.

Em Dezembro de 2014 nasce assim a GUI Grow Up Ideas, Gui em homenagem ao meu filho mas também e ao que concerne a si enquanto cliente e parceiro, as siglas com o significado de Grow Up Ideas.

A grande missão é desenvolver ideas de negócio próprias, criando assim um grupo empresarial coeso, sustentavel e acima de tudo com negóocios que nos aqueçam a alma.

Mas também ajudar os nossos clientes e parceiros a desenvolver ideias de negócios novas ou a dinamizar negócios já existentes, usando assim a nossa experiencia de vida e empresarial.

O lema que me acompanha desde os anos de Sargento nos Paraquedistas (Exército, ver fotoS https://www.facebook.com/media/set/?set=a.4372714366071.178527.1534387334&type=3):  “Que nunca por vencidos se conheçam”, tem surtido efeito.

Quando me dizem que isto está mau, que o estado não deixa isto e aquilo, eu pergunto “Então e porque é que outros que tiveram as mesmas condições iniciais estão a crescer??”

Como comentei num post do Facebook há tempos atrás:

“O sistema também não me “ajuda” ou atrasa-me para fazer muita coisa , mas não é por isso que paro ou deixo de fazer, existe sempre alguma forma de dar a volta, o que reparo é quando se quer fazer tudo sozinho as coisas tornam-se muito mais complicadas, as parcerias são obrigatórias, uma equipa a pensar e lutar pelo mesmo é meio caminho andado.

Por vezes faço muita coisa que não gosto ou dou um passo atrás, para depois poder dar 3 para a frente e fazer o que me agrada. Se há coisa que os “tugas” possuem é uma criatividade e poder de adaptação supra-elevado…por isso e se por acaso não resulta aqui (Portugal) existem mais 195 países onde o “sistema” esta desejoso de “deixar”…as fronteiras já “não existem”, a nacionalidade é no BI, empresas locais são as mercearias, agora há que pensar no MUNDO e o mundo felizmente está apenas a poucas horas de caminho”

Convidava a ler este artigo:

AS OPORTUNIDADES DA LÍNGUA PORTUGUESA

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=449844528385886&set=a.443392279031111.95297.443348289035510&type=1&theater

Já li e ouvi em muitas entrevistas, que os empresários em Portugal tem vergonha ou medo de dizer que o são, eu cada vez mais tenho o orgulho de dizer EU SOU EMPRESÁRIO DE PORTUGAL PARA O MUNDO.

A MELHOR FORMA DE PREVER O FUTURO, É CRIA-LO!

Make It Fun! Be Successful and Happy!

Siga-me no LinkedIn http://www.linkedin.com/in/nguilhermej

WhatsApp chat