Mais um dia passado, mais uma luta combatida mas ainda não vencida, mais uma dor, mais um sacrifício, mais um sucesso…mais um dia de oportunidade para vencer!

Mais uma noite toda a trabalhar na esperança de que o sacrifício de todos estes anos colmine num minuto de sorte que possa alterar o rumo da história actual.

Se é verdade que nunca por vencido me conhecem, poucos sabem que muito mazelado tenho saido.

Creio que assim é a vida de quem procura lutar por um lugar na história, por ter mais do que provavelmente o destino destinou.

Creio na minha força e garra, no meu espírito de que quase tudo pode, de que só a morte me poderá derrotar…

Ao longo dos últimos meses tenho conhecido pessoas fantásticas, irmaos e irmas de coração, amigos para a vida que mitigam e quase anulam as podres que também se vao encontrando, felizmente muito poucas.

Estas Pessoas fantasticas que me fazem indirectamente acreditar que nada tem sido em vão e valera apena, que sou alguém que dá o corpo ao manifesto, de que sou alguém na categoria dos “raros”…ou simplesmente alguém q tem uma taxa de esforço por vezes sobre-humana.

No meio de tanto alarido positivo ou negativo, a verdade é que me sinto feliz e realizado pelos micro sucessos que vou tendo, pelos pequenos elogios e pela pessoa que sou mesmo com os mesmos defeitos de todos.
Não sou o melhor, o exemplo, o primeiro, o mais perseverante, nao sou nenhum heroi , sou o Nuno Guilherme.

“Põe quanto És no Mínimo que Fazes.
Para ser grande, sê inteiro: nada Teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és No mínimo que fazes. Assim em cada lago a lua toda Brilha, porque alta vive” (Ricardo Reis, in “Odes” Heterónimo de Fernando Pessoa)

WhatsApp chat